Justiça determina o arquivamento das denúncias contra o padre Robson. MPGO vai recorrer.

COMPARTILHAR:
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter

Ele era acusado de desviar R$ 120 milhões doados por fiéis à Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe)

A Justiça determinou o arquivamento das denúncias contra o padre Robson, do Divino Pai Eterno, nesta terça-feira, 6. Ele era acusado de desviar R$ 120 milhões doados por fiéis à Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe), responsável pelo Santuário Basílica de Trindade, no estado de Goiás.

Veja Também
VÍDEO: carro é fuzilado no centro de Vitória. IMAGENS FORTES!

Portanto, a decisão da 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Goiás paralisou a tramitação da ação penal contra o padre. A sessão ocorreu na terça-feira de forma virtual.

O trancamento pode ser determinado quando a Justiça entende que não houve o crime que é alvo da investigação. Neste caso, crime de organização criminosa, lavagem de capitais e apropriação indébita.

O sacerdote era investigado na Operação Vendilhões, deflagrada pelo MP-GO (Ministério Público de Goiás), no dia 21 de agosto deste ano.

O dinheiro, que seria para custeio das atividades da Igreja Católica e para o pagamento de obras e projetos de cunho social, estaria sendo utilizado para pagamento de despesas pessoais dos investigados. Além disso, estaria sendo usado para a aquisição de imóveis que, em princípio, não se destinam ao usufruto da associação.

Era investigado, também, se o dinheiro arrecadado tinha sido utilizado para o suposto pagamento da extorsão sofrida pelo padre. Ainda, para o pagamento de propina para os agentes policiais que atuaram nas investigações do caso de extorsão.

Continua depois da Publicidade

MP-GO pode recorrer
Entretanto, MP-GO ainda pode recorrer para instâncias superiores. Porém, a ação pode ser arquivada automaticamente, caso a decisão do trancamento for mantida até o trânsito em julgado. Ou seja, quando não há mais recurso.

Caso contrário, o processo segue seu curso. Durante o trancamento estiver vigente, o padre e os outros suspeitos não podem ser investigados.

O voto foi do desembargador Nicomedes Domingos Borges e foi acompanhado em unanimidade pelos outros quatro magistrados. O MP-GO aguarda ser notificado para tomar as medidas cabíveis.

Nota da Afipe
A Afipe, fundada pelo padre Robson e presidida por ele, informou em nota que seguirá o trabalho de “auditoria, reforma administrativa, implantação de governança e demais ações que estão em andamento”.

Veja Também
Rêgo Barros é exonerado do cargo de porta-voz da Presidência

Confira nota na íntegra:

A Justiça atendeu ao pedido de habeas corpus dos advogados do Padre Robson na tarde desta terça-feira, 6 de outubro.

A Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe) continuará o trabalho de auditoria, reforma administrativa, implantação de governança e demais ações que estão em andamento na associação. Tais medidas são fundamentais para o renascer da Nova Afipe e para que a entidade possa continuar cumprindo com sua principal missão que é evangelizar e manter suas ações sociais, a obra da nova Basílica em Trindade e a TV Pai Eterno. Sendo, o mais importante, a confiança do devoto do Pai Eterno nas ações da entidade e na transparência que a atual gestão defende e trabalha.

Mais notícias dessa região acesse Imparcial Goiás

Com informações do Portal O Município