Gabigol é denunciado pelo MP por crime contra a saúde pública após aglomeração em cassino clandestino

Por Redação Imparcial
COMPARTILHAR:
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter

Segundo o jornal Extra, o atacante Gabigol, do Flamengo, foi denunciado nesta quinta-feira pelo MP-SP (Ministério Público do Estado de São Paulo) por crime contra a saúde pública.

No último final de semana, o atleta foi flagrado em uma aglomeração com mais de 200 pessoas dentro de um cassino clandestino, em São Paulo, e acabou deixando o local conduzido pela Polícia.

Veja também 
Messi e Cristiano Ronaldo param nas oitavas da Champions pela primeira vez em 16 anos

Ao todo, Gabigol e mais 57 pessoas serão processadas pelo crime previsto no artigo 268 do Código Penal, que fala em desrespeitar medida do poder público para evitar propagação de doenças contagiosas (no caso, a COVID-19).

Além deles, o gerente do estabelecimento ilegal e todos os funcionários ainda responderão por realização de jogo de azar, o que é proibido no Brasil.

No requerimento, o MP-SP pede que Gabriel pague ao menos 100 salários mínimos (ou seja, R$ 110 mil) ao Fumcad (Fundo Municipal da Criança e do Adolescente) como forma de punição.

Em entrevista à TV Globo, o atleta do Flamengo disse que apenas “saiu para jantar” com amigos e não havia percebido que estava em um cassino clandestino.

“Não tenho costume de jogar, a única coisa que eu jogo é videogame. Estava com meus amigos, a gente foi jantar. Quando estávamos indo embora, a polícia chegou mandando todo mundo ir para o chão”, afirmou.

No entanto, Gabriel admitiu que “faltou sensibilidade” por estar em uma aglomeração, no momento em que a pandemia de COVID-19 segue afetando o Brasil com enorme gravidade.

Mais notícias dessa categoria acesse Imparcial Esporte

Com informações da ESPN