Ponte Costa e Silva vai passar por uma grande reforma

Por Redação Imparcial
COMPARTILHAR:
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter

Ibaneis assinou ordem de serviço da ponte; investimento é de R$ 13,5 milhões e beneficiará 14 mil veículos que trafegam diariamente pelo local

Para ampliar a segurança da população e evitar trágicos desabamentos como os que aconteceram em 2018 no complexo de viadutos do Eixo Sul, o Governo do Distrito Federal (GDF) tem se esforçado na recuperação preventiva de grandes obras de arte. Depois de reformar as tesourinhas e outros viadutos, agora as obras vão avançar para a Ponte Costa e Silva, no Lago Sul. Inaugurada em 1976, a via de passagem projetada pelo arquiteto Oscar Niemeyer finalmente terá sua primeira grande reforma, com investimento de R$ 13.594.231,88.

Veja também 
Gestão – 32 escolas de Brazlândia passaram por reforma

Nesta quarta-feira (14), o governador Ibaneis Rocha assinou a ordem de serviço para o início da obra. Estão incluídos a elaboração do projeto executivo, o reforço estrutural das vigas da ponte, a manutenção das juntas de dilatação e das sinalizações náuticas e viárias, o recapeamento funcional das três faixas de asfalto, a instalação de um novo guarda-corpo e a melhoria no escoamento de águas pluviais e pintura. Além disso, será reformada a margem (cabeceira da ponte) do Lago Sul, com a implantação de píer e muro de arrimo. Reformas vão beneficiar 14 mil motoristas que trafegam diariamente pelo local.

A reforma aumentará a vida útil da ponte em 15 a 20 anos, além de oferecer mais qualidade e segurança a quem transita pelo local. A obra, que vai gerar 300 empregos, está a cargo da empresa Concrepoxi Engenharia Ltda, contratada pela Novacap.

“A gente vem fazendo um trabalho de zeladoria da cidade”, disse o governador Ibaneis Rocha, após assinar a ordem de serviço para que as obras comecem imediatamente. “Começamos com as tesourinhas, que estamos fazendo desde o ano passado, e agora passamos para a ponte Costa e Silva, que está bastante degradada. A gente quer entregá-la nova para a população do DF o mais rápido possível.”

O presidente da Novacap, Fernando Leite, considera que o caráter de monumento de Brasília demanda atenção especial. “Essa ponte é uma obra de arte, um projeto de Oscar Niemeyer, e ela exige cuidados”, pontua. “Ela passou por algumas intervenções, e agora vamos fazer uma grande reforma. Ela precisa de uma substituição das juntas de dilatação, corrigir infiltrações, substituir os aparelhos de apoio da ponte, recuperar o asfalto os guarda-corpos”.

Cultura de manutenção

Inaugurada em 1976, a Costa e Silva liga os trechos 1 e 2 do Setor de Clubes Sul à QI 10 do Lago Sul. A estrutura foi projetada pelo arquiteto Oscar Niemeyer e possui 452 metros de comprimento por 13 metros de largura, com três vãos que permitem a passagem de embarcações náuticas que navegam pelo Lago Paranoá.

Em 1995, 19 anos após o início de sua operação, foram identificados danos por corrosão nas armaduras da ponte, quando houve uma intervenção nas fundações para tratamento das corrosões encontradas nos tubulões.

Em janeiro de 2014, 38 anos após sua inauguração, observou-se uma visível deformação do trecho central devido à movimentação das barreiras de concreto (guarda-rodas) pré-moldadas, ocasionando um estrangulamento parcial das pistas de rolamento.

Com a reforma, a estrutura vai ganhar uma pintura em poliuretano, o que aumenta a durabilidade para até 25 anos. Os guarda-corpos também serão adequados às novas normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). A ponte também vai ganhar uma rampa de acesso para pedestres na extensão que liga a orla ao Trecho 1 do Setor de Clubes Sul.

São cuidados que os gestores do governo reforçam como extremamente necessários. “Desde o início deste governo, a gente implementou um plano de manutenção de pontes e viadutos no DF, e nada mais simbólico do que a ponte Costa e Silva, que é um monumento tombado”, destaca o presidente da Agência de Desenvolvimento do DF (Terracap), Izidio Santos.

“Essas pontes e viadutos do DF nunca tiveram o cuidado necessário, e a gente criou agora uma cultura de manutenção, trazendo a sociedade civil e universidades para fazerem as vistorias”, relata o gestor. “Isso aqui é a concretização daquilo que a gente iniciou lá em 2019. Que se estenda a todas as pontes e viadutos do DF.”

O secretário de Obras, Luciano Carvalho, reforça a fala de Izidio Santos e a necessidade de mais atenção para com o patrimônio público. “É um legado importante que a gente deixa para Brasília, o de implantar a cultura de manutenção, de cuidar do nosso patrimônio”, diz. “Temos reformas importantes nas tesourinhas, e agora chegou a vez da ponte Costa e Silva; temos os viadutos da N2 Norte. É preciso ter esse foco na manutenção, de preservar o patrimônio, ter essa cultura que, no Brasil, infelizmente não há muito. Estamos tentando trazer esse legado de cuidar do que é nosso”.

Além do governador Ibaneis Rocha, do presidente da Terracap e do secretário de Obras, participaram da assinatura da ordem de serviço para as obras o presidente da Novacap, Fernando Leite; o secretário de Governo, José Humberto Pires, e a administradora regional do Plano Piloto, Ilka Teodoro.

Mais notícias dessa região acesse Imparcial Brasília

Com informações da Agência Brasília